Skip to content

Uma Buenos Aires diferente

February 26, 2013

DSC_0421 foto museu buenos aires

 

Caríssimos, dando continuidade à série de posts sobre a minha última viagem a Buenos Aires, gostaria de falar sobre dois tours bem legais que eu fiz na cidade e que não são bem divulgados aqui no Brasil: o Foto Ruta e o Rent a Local Friend. Recomendo muito os dois para quem quer conhecer Buenos Aires fora do circuito turistão.

Vamos começar pelo Foto Ruta. Como vocês sabem, eu amo fotografia e recentemente comprei minha primeira SLR. Empolgada com a minha nova aquisição, resolvi testá-la fotografando Buenos Aires e saí procurando tours que envolvessem fotografia. Depois de muito pesquisar, resolvi fazer o Foto Ruta (www.foto-ruta.com), que é muito recomendado no Trip Advisor. E posso dizer que gostei muito!

O Foto Ruta é coordenado por três fotógrafas profissionais de nacionalidades diferentes (nenhuma delas argentina) que se apaixonaram por Buenos Aires e resolveram ir morar lá. O tour funciona assim: as três elegem um bairro para fazer o tour (o meu foi Palermo) e indicam um café como ponto de encontro (no meu caso, o Decata Café, na Calle Honduras, quase esquina com Avenida Dorrego, em Palermo Hollywood). No horário marcado, é feita uma rápida preleção (geralmente em inglês) explicando princípios básicos de fotografia (especialmente de composição) e dando coordenadas sobre pontos interessantes de se fotografar na região. Nesta mesma oportunidade, é dado um mapa e uma lista com “clues” para cada participante. As clues são sugestões de temas para fotografia, de modo a tirar você do lugar comum e te forçar a olhar para o mundo ao seu redor com outros olhos. No meu tour, tinha clues como “playing with food” e “hipster vanity”, mas elas variam de acordo com o dia e o bairro. Uma vez finalizada a preleção, os participantes são divididos em pequenos grupos e é marcado um horário de retorno. No meu grupo, tinha um finlandês e um brasileiro de Niterói!

Embora de início você se sinta meio frustrado e perdido por ter dificuldades em achar fotos que se adequem às clues, você depois acaba relaxando e aproveitando para ver a cidade com outros olhos. Sem contar a oportunidade em interagir com outros turistas, o que é ótimo para solo travelers.

No retorno, a Joss e as outras sócias do Foto Ruta comentam as fotos que foram tiradas e dão dicas de fotografia enquanto todos tomamos vinho e beliscamos petiscos. Em resumo, foi uma tarde muito agradável.

Já o Rent a local friend (www.rentalocalfriend.com) é um tour que eu recomendo para quem tem pouco tempo para curtir Buenos Aires ou para quem já conhece a cidade e quer vê-la de uma forma diferente (aliás, esse tour está disponível em vários lugares do mundo, não só Buenos Aires). A premissa desse tour é que você conheça a cidade a partir de dicas passadas por um local, que te leva a lugares que não estariam inclusos em um tour regular de agência de turismo. Embora haja mais de um “local friend” em Buenos Aires, eu escolhi a Gisele Teixeira por conta das ótimas recomendações no Trip Advisor e por ela ter gostos parecidos com os meus, conforme o perfil disponível no site.

Para reservar o tour, basta acessar o site, escolher o seu “amigo alugado” e indicar qual a data de interesse, se o tour é de meio dia ou dia inteiro e quais são os seus focos. Quando eu disse que gostava de arquitetura, a Gisele envolveu o marido dela, o Edu (que é arquiteto), no passeio. Eles foram me buscar no meu hotel na Recoleta e o tour começou no próprio bairro, com a observação dos belos palacetes das redondezas. Fizemos pit stops em Retiro e em Montserrat (onde visitamos o pouco conhecido, mas muito interessante, Museu da Cidade), de onde caminhamos até San Telmo.

Confesso que eu tinha um certo preconceito contra o bairro, taxado de violento por 11 entre 10 guias de Buenos Aires. Tudo balela. Caminhamos os três não só pelas ruas principais, mas também pelas paralelas, sempre com nossas câmeras à mostra, e não tivemos nenhum problema. Na verdade, nosso passeio foi agradabilíssimo, uma verdadeira aula sobre a Argentina que não está no Lonely Planet. Conversei com a Gisele e o Edu sobre tudo: política, arte, arquitetura, cinema, futebol, Brasil, tango… Aprendi de tudo um pouco sobre a cidade: sobre a origem de suas “barrancas” – todas criadas pelo aterro do Rio da Prata – sobre as esquinas com e sem oitavas, sobre a ocupação da cidade, sobre o novo hype em torno de San Telmo…

A hora passou voando e a bateria da minha câmera até “arriou” de tantas fotos que eu tirei – isso porque estava com a bateria totalmente carregada! A Gisele e o Edu (dois fofos!) fizeram com que eu me sentisse em casa. Sem contar que deram várias dicas interessantes sobre onde comer choripán (comidinha de rua que você TEM que provar) e empanada, sobre bons antiquários, sobre milongas e muitas outras coisas que só um local saberia. Sem contar que San Telmo é tudo de bom! É o anti-Caminito.

Achei o tour até barato pelo que ele proporciona. E certamente o farei em outras cidades.

From → Uncategorized

Leave a Comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: