Skip to content

Como não amar uma cidade chamada Heroica Ciudad de Puebla de Zaragoza?

May 2, 2014

Depois de muito tempo ausente do blog, resolvi dar uma limpada nas teias de aranha daqui para, pelos menos, finalizar a série do México. E fico muito feliz que o primeiro post deste retorno seja sobre a encantadora Heroica Ciudad de Puebla de Zaragoza.

Muitos brasileiros sequer pensam incluir Puebla em seus roteiros no México, apesar da proximidade com a Cidade do México (aproximadamente duas horas de carro). Isto é um erro, pois motivos é que não faltam para incluir Puebla no seu roteiro. Seguem alguns abaixo:

1) A cidade respira história: pouca gente sabe, mas foi a partir do vale onde hoje fica Puebla que Hernán Cortéz, ajudado por sua amante “La Malinche”, preparou o ataque a Tenochtitlán (atual Cidade do México). Foi também neste vale que ocorreu a “Matança de Cholula”, ocorrida em um centro religioso asteca situado a cerca de 9 KM da atual cidade de Puebla. Não à toa, La Malinche batiza um dos vulcões que ficam próximos à cidade e há diversas fortificações espanholas na região.

Foi aqui também que ocorreu em 5 de maio de 1862 a batalha de Puebla, na qual o General Zaragoza impôs uma derrota humilhante aos franceses que estavam intervindo no México. Sim, pode parecer bizarro, mas após a independência dos espanhóis, o México sofreu duas intervenções francesas. Lastreando-se no rarefeito conceito de América Latina, a França tentou exercer seu imperialismo no México com base em supostas similaridades culturais e com a desculpa de que apenas estava tentando cobrar dívidas contraídas pelo Governo mexicano. A França chegou inclusive a tomar a Cidade do México e colocar um monarca fantoche (Maximiliano, um príncipe da família Habsburgo) no lugar do presidente eleito Benito Juárez (by the way, Juárez tinha origem no estado de Oaxaca e era da etnia zapoteca, sendo o primeiro e único presidente indígena da história do México). Embora os franceses só tenham sido totalmente expulsos do México cinco anos depois, a Batalha de Puebla é lembrada como um marco que impediu que o México se tornasse colônia francesa.

E também foi em Puebla que se iniciou a Revolução Mexicana. Embora a revolução tenha ficado marcada pelas figuras de Emiliano Zapata e Pancho Villa, um tiroteio contra opositores do ditador Porfirio Díaz ocorrido na cidade é considerado o marco do início da revolução. Na casa onde ocorreu o tiroteio hoje existe um museu, que vale muito a pena ser visitado.

2) Igrejas: apesar da concorrência quase desleal exercida pela Cidade do México neste quesito, Puebla tem as suas próprias igrejas encantadoras, a começar pela Catedral. Fora os belíssimos conventos abertos à visitação.

3) Museus: há uma grande variedade de museus, que vão desde museus dedicados à arte decorativa até um museu com um importante acervo de arte pre-colombiana (Museu do Amparo).

4) Comida: Aqui é o berço do mole poblano, sobre o qual já falei no post sobre culinária. E ainda há uma rua que só vende doces…

5) Arredores: além dos fortes espanhóis, há ruínas pre-colombianas, como a cidade de Cacaxla e a pirâmide de Cholula, e o Popocatepétl, um vulcão majestoso que vale ser apreciado.

Como vocês veem, não faltam motivos para conhecer Puebla.

From → Uncategorized

Leave a Comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: